Contentamento

Contentamento para alguns é ter exatamente tudo que os bens materiais podem dar, para outros é ter saúde e para outros ainda uma espécie de indiferença a qualquer situação, seja boa ou ruim.

No entanto, contentamento para quem tem plena confiança em Deus, não é ter tudo que se quer, não é conformismo nem indiferença, contentamento significa a certeza de que Jesus possui tudo sobre o controle. É a certeza de que Ele tece toda a nossa vida, e certamente completará o que iniciou.

contentamento Nossa parte é viver a cada dia com fé, lutando com propósito e sempre tendo a paz e confiança para deixar o milagre na mão d`Ele, sabendo inclusive que o milagre tem o sabor de Deus e não das nossas receitas amareladas e limitadas.

Portanto contentamento não é a ausência de lutas, desejos ou de sonhos, mas tranquilidade de entrega-los a Deus, e alegrar-se com a concretização deles ou não, pela confiança de que Ele sabe o que é melhor para nós.

Anúncios
Publicado em Evangelho | Deixe um comentário

Piquenique final de ano

ENCONTRO FINAL DE ANO

Vamos nos encontrar? Que tal um piquenique?

Olá caminhantes! O ano de 2014 está chegando ao fim, foi um ano difícil para nós enquanto caminho da graça estação Jacarepaguá, ano de lutas, indecisões, decisões, alegrias, tristezas, desafios e muito, muito aprendizado. Alguns que estavam juntos, deixaram de estar, outros que não conhecíamos chegaram, outros que já estiveram um dia, estão voltando, ainda tivemos outros que passaram para dar uma olhada, disseram que iriam caminhar juntos e nunca mais voltaram, por outro lado outros chegaram de mansinho sem falar nada, sem promessas e ficaram e resolveram caminhar junto. Este foi o nosso ano. Ufa! Todos sobrevivemos rsrs

Estamos sem nos encontrar há algumas semanas, devido a irregularidade das contribuições, entregamos a casa que tínhamos alugado e separado como facilitadora das nossas reuniões, e desde então não nos reunimos mais.

Sendo assim, para não fecharmos o ano em branco, convido a todos para um piquenique de confraternização a ser realizado no dia 28/12 no bosque da Barra. Sugiro o horário da manhã, talvez umas 9 horas o que acham?

Quem estiver interessado em ir peço que sinalize aqui, para podermos repartir entre nós o que levar.

Um abraço!!!
Patrick Gayer

Publicado em Evangelho | Deixe um comentário

Morte e Vida

morte e vida

 

Pensando sobre a morte. ( Reflexão sobre a morte de Eduardo Campos e demais tripulantes )

Não acredito que seja o fim,,,

Mas que é dura realidade é, esqueça o político Eduardo Campos, olhemos o ser humano Eduardo Campos e todos os que estavam com ele, quais os planos que tinham para hoje a noite, para amanhã,o que haviam prometido para os filhos ou esposas, ou amigos…,não interessa, não irão se concretizar…. é triste, é amargo, é o que vemos, é o que sentimos, é o que experimentamos,

Agora também é verdade que a morte gera vida, o grão de trigo morre e vira pão. A pequena semente morre e vira árvore frutífera com seus cheiros e sabores.

Gosto muito de um texto da Bíblia que diz o seguinte:

“O que agora vemos é como uma imagem imperfeita num espelho embaçado, mas depois veremos face a face. Agora o meu conhecimento é imperfeito, mas depois conhecerei perfeitamente, assim como sou conhecido por Deus.” I cor. 13:2

Hoje na vida vemos somente em parte, embaçado, um enigma, de forma imperfeita, porem após a morte que é paradoxal em si mesma, veremos perfeitamente.

Hoje é tudo em parte mas um dia veremos face a face toda a realidade que há entre a vida e a morte, e muito provavelmente descobriremos que elas, morte e vida, vida e morte, não são inimigas. Talvez sejam amigas, almas gêmeas, complemento uma da outra, quem sabe?!?!

Hoje não sabemos, pois hoje o que vemos é só parte da verdade, a verdade só será completa e plena ,com aquilo que não vemos.Isso é fé,

A morte é mudança de ciclo. É duro demais pra quem fica, é uma surpresa, mas não acredito que a morte possa vencer a vida, não aceito isso, a vida é mais forte que a morte. Aí volto ao ponto da fé! Houve um ser humano, Jesus, que provou isso, todos diziam que ele estava morto, de fato morreu, o corpo estava lá, 3 dias se passaram e ele apareceu para centenas de pessoas. Mas isso, como eu disse, é fé. Ele disse que outras pessoas também alcançariam esta experiência, pela sua graça, e isso também é fé.

Publicado em Evangelho | Deixe um comentário

Tu me amas?

amor

Poemas, canções, filmes, teatros, cartões, bilhetes de namorados, cartas presente, o mundo fala de amor como nunca falou antes, os versos de amor estão em todos os lados e em todas as mídias. Há significados diferentes com intensidades e demonstrações diversas, mas a verdade é que de uma forma ou de outra a expressão “EU TE AMO”, faz parte da vida do ser humano.

Mas o que é amor para Deus ? Será que ele espera uma declaração nossa ? Creio que a resposta é sim! Ele quer a declaração do nosso amor por ele sim! Só que esta declaração de amor precisa ir além disso.

Na Bíblia há um texto sobre amor, na verdade uma conversa, que provavelmente seja uma das passagens mais enigmáticas e cheia de significados que já foram relatados nas escrituras. O texto esta no evangelho de João 21:15-17 e diz o seguinte:

“E, depois de terem jantado, disse Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? E ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros. Tornou a dizer-lhe segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Disse-lhe: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.  Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.”

Provavelmente você deve lembrar que Pedro negou a Jesus por 3 vezes na ocasião da Sua prisão. A maioria das reflexões pelo mundo a fora sobre este texto, apontam que Jesus perguntara se ele O amava por 3 vezes em alusão as 3 negativas de Pedro, como uma forma de perdoa-lo e motiva-lo a seguir em frente, porem peço licença para defender a segunda interpretação.

Parece-me que Jesus está ensinando algo mais profundo em relação ao amor, algo para todos os que O amam. É como se Ele estivesse passando nesta conversa com Pedro um ensinamento mais profundo. Leio a conversa da seguinte forma:

“Simão Pedro, tu me amas na teoria ? , tu me amas conceitualmente ? tu podes declarar este amor por mim ? Tu me amas mesmo ? Respondeu Pedro a Jesus:- Sim Senhor tu sabes que O amo na minha mente e com todo o meu coração.- Então respondeu-lhe Jesus: – Então demonstra isso na prática, com tua vida em favor dos outros e aí então sabereis que tu me amas.”

É assim que leio e interpreto este texto. Pedro respondia sim eu te amo, e Jesus respondia então mostra este amor. O amor que Deus espera de nós precisa ser como o de uma árvore saudável, precisa dar frutos.

Hoje o amor a Deus, o amor a Jesus, é muito cantado, encenado, pregado, estudado, discutido e declarado, mas a pergunta é: Quanto deste amor tem sido demonstrado em favor ao próximo?

Para Deus não basta declarar o amor, ele tem que ser vivido.

É isso que penso sobre o amor, é isso que aprendi de Deus .

Patrick gayer

Publicado em Evangelho | Deixe um comentário

Arrumar o quarto ou salvar o mundo?

jesus e o endemoniado “Filha, por favor, vai arrumar o seu quarto.” – “Pera aí!”- Disse ela. Passado alguns instantes, repeti: “Filha, por favor, vai arrumar o seu quarto”. “Pera aí papai, deixa eu acabar de ver isso.” Então eu fui ver o que era mais importante do que arrumar o quarto. Minha filha estava assistindo a um programa de TV, um musical com o título : “Amigos salvando o mundo”. Interessante…, minha filha totalmente absorvida pelo conteúdo do programa, muito compenetrada nas informações sobre o tema salvar o mundo, o que é muito digno, mas eu só queria o quarto arrumado. Então eu disse a ela: “Tá tudo bem, salvar o mundo é legal, é bacana, mas por que não arruma o quarto primeiro !?!?” Há um texto na Bíblia em Marcos 5, que conta sobre um homem endemoniado que vivia nos sepulcros, sem roupas e se auto flagelando todos os dias. As pessoas tinham medo dele, tinham pavor de passar por ali. Até que um dia, Jesus visitou o lugar, e libertou aquele homem, que agradecido disse: “Deixa eu ir contigo”. Porem o homem escutou de Jesus, uma negativa e a recomendação para voltar para a sua casa. Explorando um pouco esse diálogo, era como se o homem estivesse dizendo : “Senhor, eu sou profundamente agradecido, eu estava totalmente entregue, derrotado, esquecido, e o Senhor veio e me resgatou e agora estou liberto e em prefeito juízo. Senhor eu quero te seguir para onde quer que o Senhor for, vou falar em todos os cantos, para todas as pessoas sobre o que fez por mim.” Mas o Senhor lhe disse entre linhas: “Filho, calma, não apresse as coisas, o mais importante agora é você voltar para casa, volte para os seus. Comece a acertar as coisas e depois outras coisas virão.” Muitas vezes estamos tão preocupados em salvar o mundo, e não nos lembramos de arrumar o quarto, de dar um bom dia para o trocador do ônibus, de apreciar o sorriso de uma criança, de reconhecer o cuidado de Deus diário, esquecemos da importância da família e negligenciamos o milagre da vida manifesto em nós mesmos todos os dias. A mesma coisa acontece com alguns irmãos que desejam se tornar missionários em terras longínquas, em outros continentes , nos confins da terra. Tais irmãos, muitas vezes não tem um testemunho aceitável dentro de sua própria casa, em sua vizinhança, entre os seus. Não se enganem, não existe nenhum milagre que acontece entre as 12 horas de voô para África ou das mais de 30 horas para Ásia. Ninguém se torna melhor cristão num voô rumo a outro continente, não há transformação de mente e atitude só porque você esta longe de casa. O nosso testemunho precisa se dar no chão dá vida, no dia a dia, nos encontros diários, com as pessoas que conhecemos e com as que eventualmente encontramos, no local em que moramos, estudamos ou trabalhamos. Senão for assim, não pense que o será no chamado “campo missionário”, pois o campo missionário começa bem abaixo do nosso nariz, no chão que pisamos todos os dias, senão começar aí, não se estenderá a lugar algum. Muitos querem como o ex-endemoniado seguir a Jesus por todos os lugares, mas ainda não fizeram o que tem que ser feito em casa. Ou talvez querem salvar o mundo como a minha filha, mas ainda não arrumaram “o seu quarto”. Precisamos ir até os confins da terra SIM, precisamos levar salvação a todos os povos pelo nome de Jesus, SIM, mas faça antes a pergunta para si mesmo. “Você já arrumou o seu quarto?” Por Patrick Gayer

 

Publicado em Evangelho | Deixe um comentário

3 RAZÕES PARA NÃO NOS REUNIRMOS

Por que nos reunirmos como igreja?

1-Para Encontrar com Deus. – Este não é um bom motivo para irmos à estação caminho da graça. Pois lá não é um lugar em que Deus está esperando ansiosamente nossa presença, para que então ele possa conosco ter um encontro, não é isso. Não devemos buscar encontrar com Deus, mas andar com Ele diariamente, estar em sintonia com Ele, viver Ele. Todo discípulo tem apenas um encontro com o Mestre, aquele encontro do dia em que a consciência percebe a existência de Deus e o coração se rende a Cristo. Este é o encontro, o único encontro, o resto é caminhar junto com Ele aqui nesta terra, vendo-o em parte, é verdade, mas isso só até aquele dia que o veremos face a face quando atravessarmos a linha da fronteira. Portanto não vá a estação para encontrar com Deus, primeiro por que creio que você já o encontrou, então ande com Ele, e em segundo, se você ainda não o encontrou, não precisa esperar a reunião de domingo para isso, encontre-o agora mesmo.

2-Para obedecer a Deus. – Não! Obedecer a Deus não se traduz na frequência com que vamos as reuniões do caminho da graça. Obedecer a Deus é viver os seus mandamentos diariamente nos encontros da vida, nos seus relacionamentos, obedecer a Deus é , seguir dando razão a Deus sempre! Obedecer a Deus é viver em conformidade com a lei do amor. Obedecer a Deus é ter um coração grato, consciente que a graça de Deus é mais maravilhosa que a vida. Não, não venha às reuniões por medo de estar desobedecendo a Deus. Pois desobedecer a Deus não tem nada a ver com a sua frequência em nossas reuniões, mas com as suas atitudes para com o próximo, para com você mesmo e para com Deus, na largueza da vida e não na estreiteza de um encontro de domingo.

3-Para Receber a Benção de Deus. – Não tenhamos a ilusão de achar que Deus irá nos abençoar mais ou menos, de acordo com a nossa frequência às reuniões. A estação não é, não pretende ser e nunca será uma canalizador das bênçãos de Deus para tua vida. Deus não está esperando aflitamente o nosso encontro na estação, ou em qualquer outra igreja instituição para nos abençoar. A maior benção que Deus poderia te dar e razão de felicidade real, é a benção da salvação que foi a prova de amor maior timbrada na cruz. O resto são as bênçãos da consequência de nossas atitudes na terra. Se você andar em conformidade com a vida de Cristo, você será abençoado pela consequência desta escolha de vida. E esta benção não tem a ver com casamento, bom emprego, boas viagens, pois isto pode existir ou não, mas a benção maior do caminhar com Deus, é um estado de paz que excede todo o entendimento.

Por favor, se estes motivos permeiam a sua mente, não vá ao encontro. Eu não vou por nenhum destes motivos.

Por que então nos reunirmos? Por que alugamos uma casa para nos servir de encontro? Não era melhor ficarmos na praça, ou viver o isolamento de um caminhar solitário, ao invés de jogar dinheiro pelo ralo ao pagar um aluguel?

O motivo de nos encontramos é a comunhão. A Palavra diz que bom e suave é que os irmãos vivam em união. A melhor forma de nos mantermos em união, é o encontro olho no olho, entender a onde tá doendo a dor do outro e ter empatia pelo outro, é se alegrar com a alegria do outro, é aprender com a experiência do outro, com o acerto ou com o erro.

O motivo de mantermos uma casa alugada, não é a comunhão com Deus, pois está comunhão é espiritual e se dá o tempo todo. Agora a nossa comunhão, a comunhão entre irmãos além de espiritual também é física, é presencial.

Por que escrevo essas coisas? Simples, lendo como os primeiros cristãos viviam e como tinham alegria no encontro, no partir do pão, no repartir da vida. Vi que podemos fazer mais, e que podemos valorizar mais a possibilidade do encontro.
Não devemos nos encontrar para achar Deus, para obedecer a Deus e nem tão pouco para encontrar favor de Deus. A comunhão é a única razão do encontro, pois nele nos aproximamos uns dos outros, louvamos a Deus e refletimos sobre o evangelho.

O motivo da estação existir somos nós, eu e você, a nossa comunhão proporcionada pela graça de Deus.

Pense nisso!
Patrick

Publicado em Evangelho | 2 Comentários

Família

amizade1

Hoje fui convidado para levar uma reflexão sobre este tema, numa reunião no lar de um amigo meu, onde estará reunida toda a sua família. Fiquei pensando sobre o tema e resolvi compartilhar algumas coisas com vocês.

No dicionário Família tem o seguinte significado: “Grupo de pessoas de mesmo sangue, como filhos, irmãos, sobrinhos etc…” ou “Grupo de seres que apresentam características comuns, família espiritual”

Uma coisa fica clara para início de conversa, embora não podemos negar que os laços de sangue caracterizam e separam os indivíduos cada um em suas famílias, a família não se resume a pessoas de mesmo sangue, não existe família no sentido mais amplo da palavra, pelo simples fato da presença de semelhança genética, ou seja, não são os laços do DNA que constituem uma verdadeira família.

Da mesma forma que um contrato no papel não gera um casamento de fato, a descendência genética também não constitui uma família. Ambos precisam de algo mais profundo para existirem de verdade, algo insubstituível, precisam de uma coisa que não se pode garantir em assinaturas em cartório e também não podem ser pesquisados em ampolas de laboratório. Eu estou falando do amor.

Das 4 coisas que quero compartilhar com vocês, e que considero fundamental para a existência da família, a primeira é o amor.

Sem o amor, não há possibilidade só resta a impossibilidade, sem amor não há o caminhar mais uma milha. Chorar com os que choram, sorrir com os que se alegram só é possível  pelo o amor.

Não existe amor verdadeiro senão for nos termos da graça.

Deus nos amou de tal maneira que deu o seu filho unigênito para que morresse em nosso lugar,  nos possibilitando assim de encontrar salvação para as nossas almas. E Ele nos amou por que? Nos amou, porque nos amou e pronto! Não fizemos nada para merecer este amor, não há coisa boa suficiente em nós que nos torne merecedores deste amor, como também não há coisa  demasiadamente terrível que nos afaste deste amor. E é este amor que inserido e vivido na família a torna real.

Há amigos tão leais uns com os outros que comumente chegam a declarar que são como uma família, e de fato são. Pois o amor é mais forte do que o laço de sangue. Um homem e uma mulher por exemplo que se casam constituem uma família, mas não possuem ligações de sangue, e sim de amor.

No entanto, o fato da família viver esse amor, não significa que tudo será perfeito. O próprio Deus se irritou com o seu povo, prova disso foi a retirada do homem e da mulher do Jardim do édem, o dilúvio, a escravidão etc… e logo depois reverteu a situação com o arco da aliança, com libertação e com salvação, com cruz. E o que foi isso, senão um ato de perdão.

Perdão, a segunda coisa que não pode faltar na família. O perdão deve estar sempre presente, ele funciona igual a um celular ou computador, que possui um sistema de reinicialização a configuração inicial. Ontem minha filha ( 10 anos ) estava chorando quando me trouxe o seu celular , pois ele estava super- lento, travando, ficava com a tela escura etc… o problema é que ela baixou tantos aplicativos, jogos, downloads e outras coisas mais, que o celular simplesmente estava pedindo “arrego”. Não tive outra saída, entrei em configurações e cliquei no ícone que fazia o celular voltar aos padrões iniciais. Pronto, o celular voltou a ficar rápido. O perdão faz isso, restaura o amor.

Em terceiro lugar vem a comunhão. Ela funciona como  a manutenção do amor e do perdão. Veja o texto a baixo: ( marcos 5:41-43 )

“Tomou-a pela mão e lhe disse: “Talita cumi!”, que significa “menina, eu ordeno a você, levante-se!”. Imediatamente a menina, que tinha doze anos de idade, levantou-se e começou a andar. Isso os deixou atônitos. Ele deu ordens expressas para que não dissessem nada a ninguém e mandou que dessem a ela alguma coisa para comer.”

Jesus efetuou o milagre da ressurreição da menina, mas logo em seguida mandou que dessem a ela de comer, pois o milagre que ele operara precisava de manutenção, caso contrário a menina morreria de novo.

O amor e o perdão são milagres de Deus na vida da família, que precisam de manutenção, e a manutenção é a comunhão, que vem por meio da comunicação. E a comunicação acontece quando ambas as partes envolvidas, sabem ouvir e também tem a oportunidade de falar.

Já parou para pensar no por que oramos? Se Deus já sabe de todas as coisas, para que orar?  O principal motivo da oração é para que mantenhamos comunhão com o Pai. Não existe comunhão sem dedicação a alguém, precisamos empegar diálogo, tempo e respeito para que a comunhão se estabeleça.

E por último, vem o que considero chave em todo este processo que é a consciência para com Deus. Lógico, as últimas 3 coisas que vimos são indispensáveis, mas muitas vezes  consciência para com Deus é o que torna isto tudo viável. Muitas coisas não tem sentido,  são intragáveis, indigestas, ruins para o corpo e para a alma.

-Como eu posso amar alguém que só sabe me maltratar, me humilhar, me aborrecer, me desonrar?

– Como vou perdoar alguém que vive cometendo os mesmos erros?

-Como vou ter comunhão, diálogo com alguém tão cabeça dura?

Leia o texto abaixo comigo: ( 1Pe 2:18-19)

“Escravos, sujeitem-se a seus senhores com todo o respeito, não apenas aos bons e amáveis, mas também aos maus. Porque é louvável que, por motivo de sua consciência para com Deus, alguém suporte aflições sofrendo injustamente.”

Não, Pedro está louco, não é bom  nem louvável sofrer injustamente. Quem entre nós gosta de sofrer injustamente? Quem ?

Não…, parece, mas ele não está louco. O que torna louvável suportar aflições sofrendo injustamente, o que torna possível caminhar mais uma milha, o que faz com que ofereçamos a outra face,   é  a CONSCIÊNCIA PARA COM DEUS, descrita no texto.

Tem situações dentro do casamento que em certos períodos se tornam insustentáveis, o tratamento que certos filhos recebem de seus pais e vice-versa, as vezes são inconcebíveis. Nestes momentos o sentimento de amor vai ficar abalado, o palavra de perdão vai engasgar e a comunhão vai estremecer.

A CONSCIÊNCIA PARA COM DEUS,  é o algo a mais que os cristãos verdadeiros possuem,  não estou falando de frequentadores de templo e nem de adeptos ao cristianismo, entenda-se por cristãos os seguidores de Cristo, os convertidos ao amor do Pai, cristãos são todos  aqueles que entenderam que o amor de Deus, só tem sentido e só é real quando manifestado em favor do meu próximo e não contra ele. Sim para estes, a luta pela família tem um algo a mais que se chama Consciência para com Deus.

Porem a consciência para com Deus, não substitui o amor, o perdão e a comunhão. A nossa consciência para com Deus irá nos ajudar quando estes 3 pilares estiverem abalados.

Reflita nisso!

Está feito, falarei sobre isso hoje a noite na casa do meu amigo. Espero que tenha contribuído um pouco para a saúde da sua família.

Abraço e até a próxima.

Nele que torna o impossível possível

Patrick Gayer

Publicado em Evangelho | Deixe um comentário